Category Archives: Snack

Bolachas de alfarroba e aveia | Carob & oat cookies

Dias de fuga, dias de ternura, dias de frio, dias de inspiração, dias de preguiça. Consequências do outono? Vamos desculpar-nos…

Vamos fugir para a cozinha, entregar-nos ternamente aos ingredientes, aquecer o ambiente com o forno em potência máxima, inspirar-nos nas cores do ambiente e calar a preguiça.

Bem cedo pela manhã, sem mesmo deitar a cabeça na almofada durante a noite, o dia começou da melhor maneira. Ver o dia nascer, rasgando as nuvens escuras, abrir os armários ao brilho escondido do sol e surgir:

 

Bolachas de alfarroba e aveia

  • 150 g de farinha de aveiaDSCN4888
  • 120 g de margarina vegetal
  • 100 g de açúcar
  • 10 g de açúcar baunilhado
  • 1 ovo biológico
  • 25 g de farinha de alfarroba
  • 200 g de farinha de trigo
  • 1 c. chá de bicarbonato de sódio

 

 

 

Caso não tenha farinha de aveia, triture numa misturadora a mesma quantidade de flocos de aveia, até ficarem reduzidos a farinha.

Comece por bater o ovo com os açúcares e a margarina vegetal.

Misture todas as farinhas num recipiente e junte o bicarbonato de sódio.

DSCN4878

Pouco a pouco, vá adicionando as farinhas e mexa bem.

Forme uma bola com a massa que resultar.

A forma das bolachas fica a seu critério. Pode mesmo fazer bolinhas. Caso queira bolachas, estenda a massa num balcão e use um cortador com a forma pretendida. Forre um tabuleiro com papel vegetal e disponha as bolachas. Leve a cozer durante cerca de 15 min, a 200ºC.

Sirva-se delas quentes, mornas, frias, amanhã, depois de amanhã… Partilhe-as entre amigos, acompanhando um chá… Ofereça-as como uma pequena, doce e agradável surpresa… Ficam bem de qualquer maneira.

DSCN4894 DSCN4903

Bom-dia, Outono!

 

 

 

 

 

 

 

Advertisements
Tagged , , , , ,

Guacamole

Tenho andado com o palato a salivar por iguarias mexicanas, indianas e coloridas. Tenho andado também numa fugida contra o tempo na cozinha, numa corrida contra o gasto de dinheiro em refeições fora de casa, numa batalha para manter a minha alimentação saudável e numa reflexão aprofundada sobre a minha escolha de estilo de vida.

Fugir da cidade, entregar-me à natureza, viver apenas com o essencial, valorizar o mínimo que é tudo e amar a vida… Não é tão difícil quanto isso e só traz boas experiências, paz de espírito, novos conhecimentos, novas interpretações. O coração torna-se elástico e iluminado, cada inspiração ganha outra energia e cada passo outra dimensão.

Voltar à cidade é das maiores dificuldades no meio de tudo isto. De volta ao mundo sombrio e pesado, iludido por normas e deveres, só me identifico com a sociedade quando tenho de ir fazer compras, necessariamente. (Ai, onde anda o dia em que tenho possibilidade de construir a minha quinta..?)
Das últimas compras, trouxe uns abacates que me encantaram no seu todo: cor, textura, tamanho… Pensei eu: “isto dá um belo…”

GuacamoleDSCN4755

  • 1 abacate médio, maduro
  • 1 tomate médio
  • 1 cebola pequena
  • sal q.b.
  • chimichurri q.b. (trocar por ervas aromáticas a gosto caso não tenha)

 

 

 

 

Tire a casca e o caroço do abacate, corte em pequenos pedaços e esmague-o, num almofariz ou com um garfo, até obter uma pasta.

Corte o tomate e a cebola em pedaços minúsculos e junte ao abacate, triturando sempre, tentando reduzir os pedaços ao máximo.

Por fim, adicione o sal e o chimichurri a gosto.

Sirva com pão, tostas ou salada.

DSCN4759

DSCN4764

Fresca, doce e saborosa, a viagem ao México fez-se rápido.

 

 

Bolachas húngaras de laranja | Shortbread orange cookies

Em jeito de emoção, pensei fazer umas bolachinhas com formato coração para as pessoas especiais do hospital. Uma para cada um, quase interditas à entrada, pois o controlo da alimentação saudável está bem presente em França. Foi quase uma batalha deixar passá-las, mas seria um grande desgosto trazê-las de volta. Feitas com todo o carinho, foram recebidas e saboreadas como se não houvesse igual. E não. Nunca provei igual. Super aromatizadas pela laranja, decidi fazer a minha adaptação às tradicionais bolachas húngaras, frescas e crocantes.

 

Bolachas húngaras de laranja

  • 1/2 chávena de margarina vegetal003
  • 1/4 chávena de açúcar
  • 2 gemas
  • 2 chávenas de farinha de trigo

 

  • raspa de uma laranja
  • 1 colher de sopa de sumo laranja + sumo q.b
  • 100 g chocolate negro

 

Separe as gemas das claras e mexa. Junte o açúcar, a margarina vegetal e a raspa da laranja . Envolva, até formar um creme.

Por fim, adicione, pouco a pouco, a farinha, amassando tudo até se tornar homogéneo.

Forme uma bola e leve ao frigorifico uma hora.

Retire e amasse com as mãos (mais fácil pois não cola) ou com um rolo, com cuidado.

Com um cortador de bolachas, recorte a massa e disponha num tabuleiro com papel vegetal.

010

Leve ao forno a 200ºC durante 15 minutos.

 

Para o creme de chocolate, derreta o chocolate em banho-maria com algumas colheres de sumo de laranja, até obter uma consistência não muito pastosa, de maneira a fixar-se na bolacha.

Retire as bolachas do forno e deixe arrefecer. Molhe metade da bolacha no molho de chocolate e disponha no papel vegetal, até arrefecerem. Conserve em local fresco e resista, pois não é fácil. Aconselho o seguinte: http://www.youtube.com/watch?v=9PnbKL3wuH4

 

016

 

Óptimas para um lanche no jardim, acompanhadas com sumo de laranja. Super recarga de vitamina C.

Partilhando momentos assim faz-me sentir viva!  Dê um pouco deste amor aos seus queridos. Doce e diferente.

Tagged , , , ,

Rissóis de soja | Soy rissoles

Libertar energias… Amassando.

page

E já dizia George Sand que “a paciência não é senão energia”. Quem se lembra da felicidade de fazer os tradicionais rissóis, terá pois de de ter energia para tal. Com todo o meu contentamento e vontade, este snack em modo vegetariano saiu-me um sucesso.

Massa crocante. Sabor suave. Leve amigo do estômago.

Rissóis de soja

Massa

    • 1 chávena de farinha de trigo fina
    • 1 chávena de água
    • 50 g de margarina018
    • pitada de sal
    • casca de limão

Recheio

    • 1 chávena de soja fina granulada
    • 1 cebola
    • 1 dente de alho
    • orégãos
    • molho de tomate (caseiro e orgânico)
    • sal q.b.
    • azeite q.b.

Cobertura

    • leite de soja
    • pão ralado

Demolhe a soja durante 30 min.

Comece por preparar a massa. Leve a ferver a água com a casca de limão e o sal. Quando levantar fervura, adicione a margarina e deixe desfazer por completo. Retire do lume. Adicione lentamente, mexendo sempre, a farinha. Deixe a massa arrefecer.

Para preparar o recheio, deve alourar o dente de alho e a cebola picados com um pouco de azeite. Adicione um pouco de água, o sal, os orégãos a gosto, a polpa de tomate e, por fim, a soja previamente escorrida do excesso de água. Coza por 5 min. Deixe arrefecer.

Enquanto isso, a massa já deve estar no ponto de amassar. Polvilhe uma mesa limpa e seca com farinha. Faça uma bola com a massa e amasse com as mãos durante 5 min, até obter uma bola consistente e homogénea. Com o rolo da massa, estenda-a até uma altura de cerca de 2 mm, amassando dos dois lados, para evitar que cole à superfície ou ao rolo. Se tal acontecer, enfarinhe o rolo e volte a polvilhar a mesa.

Com uma colher de chá, retire um pouco do preparado de soja e disponha em cima da massa. Tenha atenção em que escorre o líquido da colher, pois pode, posteriormente, desfazer a massa. Dobre a massa, cubrindo o recheio. Delimite bem, com os dedos, o espaço do recheio. Com um cortador próprio para massas ou mesmo com uma caneca (cá eu prefiro), corte a massa em volta do recheio. Para certificar que o rissól não se abre, enfarinhe a ponta dos dedos e una as duas partes. Repita o processo para os restantes rissóis, assim como o amassar da massa com o rolo de modo a obter a mesma altura, novamente, pois sobrará sempre massa dos recortes com a caneca. Esta receita rendeu-me 16 rissóis recheados.

Antes de cozinhar (fritar ou levar ao forno) pincele os rissóis com leite de soja e passe-os por pão ralado.

022

033

039

Energia nutritiva e otimista. E a sua? Qual é o teor da sua energia?

Tagged , , ,